Wandering off: nem tudo está perdido!

Pikachu_de_Ash

 

Nem tudo está perdido! Foi o que pensei esta semana, enquanto explicava vocabulário durante uma aula no 8º ano do colégio. A unidade do livro texto trazia o tema “Telling stories” (Contando histórias), e em uma das narrativas mencionadas, retirada do livro “It Takes a Village”, da autora Jane Cowen-Fletcher, tive que explicar o sentido do verbo ‘wander off’.  Bom, em inglês temos vários verbos para explicar como alguém anda, e um deles é to wander, que significa, de acordo com o dicionários online wordreference.comm-w.com, vagar sem rumo certo, perambular, sair de um caminho, ou trilha. Ainda temos, como na história, to wander off (phrasal verb), que significa sair de um lugar sem avisar a ninguém, ou seja, sair vagando sem falar com ninguém, pode ser até mesmo por distração, a pessoa não diz aonde vai.

Enquanto explicava, dei uns passos, tentando encenar como alguém wanders off, foi aí que um aluno gritou lá do fundo: ‘Tipo procurando Pokémon?’. Eu disse: ‘Exato!’, mas mentalmente disse: ‘Bingo!’:-) . E ele disse isso sério, eu vi que estava prestando atenção e imediatamente ligou uma coisa a outra. O curioso é que em outra turma, aconteceu algo parecido. A relação feita entre o verbo e o que anda acontecendo na vida deles ficou bem clara (Porque eles só falam nisso!).

Bom, espero que tenham aprendido mesmo, já que nosso cérebro depende dessas associações para estabelecer significado.

Aproveito para mencionar alguns outros verbos relacionados. Forneço a tradução, mas é melhor consultar um dicionário inglês- inglês para a definição ( m-w.com):

Stroll: passear. She decided to stroll on the beach.

Pace: dar alguns passos. When she gets nervous she paces back and forth. (caminha pra lá e pra cá)

Tiptoe: andar nas ‘pontas do pés’. She tiptoed not to wake the chidren.

Stumble: andar quase caindo, geralmente quando acertamos um obstáculo, como a quina de um móvel, uma pedra no caminho… (cambalear). After drinking too much, he stumbled across the room.

Até a próxima!😀

(https://www.usingenglish.com/reference/phrasalverbs/wander+off.html)

Um ‘desconvite’ à Literatura Portuguesa

20160715_134013

Já pensou se os países colonizados pela Inglaterra resolvessem excluir a obrigatoriedade de Shakespeare no ensino de literatura? Tal proposta parece-nos inadmissível quando pensamos na importância de Shakespeare para a literatura inglesa, e até mesmo para a literatura universal. Aqui no Brasil, Luiz de Camões, Camilo Castelo Branco ou José Saramago jamais seriam ‘desconvidados’ a participar de nossa matriz curricular, certo? Errado! O MEC, através da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), acaba de desobrigar o ensino de literatura portuguesa nas escolas brasileiras. De acordo com artigo “Literatura Portuguesa naufraga no Brasil”, publicado no último dia 28 de janeiro, no jornal Folha de São Paulo. Segundo a matéria, a reunião aconteceu sem a participação de literatos, linguistas, e estudiosos da literatura. O aspecto positivo do documento foi a inclusão da literatura dos países africanos de língua portuguesa e a cultura dos povos indígenas. Mas quais são as implicações destas mudanças?

Para começar, nossa literatura brasileira se torna órfã, pois a construção de nossa identidade literária foi marcadamente influenciada pela literatura portuguesa. Nossa literatura do período colonial possui traços dessa literatura. Segundo o professor Vicente de Paulo Ferreira, da Pastoral do instituto Metodista Granbery (Juiz de Fora),  “incluir a literatura africana lusófona e indígena é bom, mas não se deve eliminar a portuguesa. Há espaço para todas. Senão, corre-se o risco de perdermos a memória de nossa própria formação cultural”.

Outra questão difícil de entender é a proposta de escolas não formalistas, que propõe a inversão da lógica cronológica do ensino de literatura: primeiro, a leitura dos autores portugueses contemporâneos para mais tarde introduzir a leitura dos clássicos, tudo em nome do ‘amadurecimento linguístico’ do aluno. O professor Vicente ressalta que “parece bom, mas como entender a literatura moderna sem as anteriores às quais reage? Parece começar a construção da casa pelo telhado, sem os alicerces que a sustentam.” Bom, nossas primeiras obras literárias dialogam com as obras portuguesas e com outras do cânone universal, e os leitores devem ter leitura suficiente para participar deste diálogo. Se invertermos a ordem, como tornar possível o diálogo?

E pensando neste diálogo, ressalto a importância que a literatura tem ao retratar as representações culturais de um povo, e acima de tudo, dar voz a este povo. Mas, se a literatura portuguesa é sutilmente convidada a sair do cenário educacional brasileiro, nosso diálogo começa a tornar-se vazio já que perdemos nossa primeira interlocutora. Além disso, se a literatura moderna reage aos discursos da literatura portuguesa, penso que seria uma manobra sutil para retirar do cenário literário o viés crítico que a literatura possui. Ainda, se o objetivo é dar mais espaço— talvez seja essa a ideia— para o estudo das literaturas de minoria, essas literaturas deveriam construir um discurso crítico, e através desse, descentralizar discursos dominantes. Parece-me mais fácil excluir este processo critico da rotina do aluno, assim a dominação, que vem sutilmente de dentro, pode encontrar seu espaço na mente de um povo que se torna cada vez mais subjugado.

Gean Carla Pereira

Artigo publicado na Revista Suindara, Academia Valadarense de Letras. Ano 12/2016

 

Aprenda inglês com BBC Learning English!

BBC

Olá! 🙂

Você já conhece o site da BBC para estudantes de inglês? Não? Te convido a dar uma ‘voltinha’ pelo mundo da BBC!

O site apresenta ótimas vantagens:

# 1 – É grátis!!!

#2 – A pronúncia do inglês britânico é mais fácil para quem está iniciando… isso mesmo! Minha pronúncia é brasileira/americana, mas tenho que admitir que o nativo fala meio enrolado, rs… (sorry friends 😉 ) E já que estamos falando de pronúncia, conhece meu curso online? O curso Clear- pronúncia em inglês está com um valor promocional irresistível 🙂

#3 – Possui vídeos didaticamente preparados e, também, vídeos curtos da própria rede de notícias.

#4 – Uma variedade enorme de Podcasts: aprendizagem de gramática, vocabulário, notícias sobre tecnologia, etc.

Deixo alguns links para você experimentar:

Vídeos com exercícios

Youtube BBC Channel

Podcast 6 Minute English

Podcast 6 Minute Grammar

Podcast 6 Minute Vocabulary

Podcast British DRAMA

Abraços! 😀