The Maine: Pop Rock do Arizona (US) | MÚSICA

Olá!

Meu nome é Mariana Medeiros, sou aluna da Gean e ela me convidou para escrever um pouco aqui — algo mais leve e divertido :-D. Resolvi começar com a música, minha maior paixão. Devo abordar bastante esse assunto enquanto estiver por aqui, além de cinema. Hoje escolhi uma banda de pop rock americana que está tentando voltar ao topo depois de uns tempos de ‘férias’.

The Maine é uma banda que, segundo a wikpédia, toca rock alternativo e pop punk. O estilo lembra bastante Imagine Dragons,  não sei ao certo qual foi a primeira música que ouvi, só que era do primeiro álbum Can’t Stop, Won’t Stop (que por acaso é meu preferido), e me lembrou bastante o jeito ‘teen forevah’ do McFly.

A banda foi formada em Tempe, Arizona. O nome surgiu por causa de uma música chamada Coast Of Maine, do Ivory, que é uma das inspirações e influências musicais do grupo. Em 2007 Pat Kirch, Garrett Nickelsen, John O’Callaghan, Ryan Osterman e Alex R. se juntaram e criaram o The Maine. Nessa época a maioria dos integrantes ainda cursavam o ensino médio e resolveram terminar os estudos on line para se dedicar mais a banda. Depois de um tempo, Ryan e Alex saíram e deram lugar a Kennedy Brock, que cantava em uma banda chamada Last Call for Camden e a  Jared Monaco, o último a ingressar no grupo.

O primeiro EP da banda foi lançado em maio de 2007, Stay Up, Get Down, seguido por The Way We Talk. Se pegarmos as músicas de 2007 e as do CD lançado ano passado, veremos uma grande mudança de estilo e de gostos dos integrantes da banda. Uma das minhas músicas preferidas deles é o single Into your arms, do primeiro álbum de estúdio, a outra é Love and drugs, do último, uma bem diferente da outra.

Uma curiosidade é que o primeiro DVD da banda, o Anthem For A Dying Breed, contém um show em São Paulo, durante a turnê Pioneer World Tour.

Misery é um dos clipes mais conhecidos da banda, super produzido e marcado pelos fãs por ter sido divulgado no aniversário de Garrett. Confesso que ri muito deles quando vi todos ou clipes do início da carreira, mas se vocês olharem para trás e depois verem os clipes mais atuais vão notar uma evolução principalmente de cabelo. As letras ficaram mais sérias, a melodia menos agitada e aquele jeitinho boyband foi ficando para trás.

That’s all.

Para ler mais sobre música e cinema, visitem meu blog:http://talvezalices.blogspot.com.br/

Autor: minham

Estudante alienada no sentido de extraterrestres. 14 anos, apaixonada por línguas estrangeiras e literatura americana. Fã de Ed Sheeran e Iggy Azalea e viciada em reality shows musicais. Fascinada por mutação genética, espera ainda se casar com um clone do Dylan O'Brien.